Olá, amigos e amigas.

Em Agosto de 2006 Eu iniciei minha Jornada como Bancária. Prestei Concurso Público para o Banco do Estado de Santa Catarina (BESC), e, por ter sido aprovada, fui chamada para trabalhar no Banco em Agosto de 2006, grávida de 8 meses. Assumi como Caixa, e duas semanas depois, entrei na licença maternidade. Em 2008, passei a ser Funcionária do Banco do Brasil, em razão da incorporação (O BB incorporou o BESC). No BESC, atuei como Caixa e Como Coordenadora Operacional, e, no Banco do Brasil, trabalhei como Assistente de Negócios (8h), gerente Personalizado PF, Gerente Exclusivo Digital e Gerente de Relacionamento PAA (Posto Avançado de Atendimento). O trabalho de um Gerente de PAA é parecido com o trabalho de um Gerente Geral, na verdade, o Gerente de PAA muitas vezes até trabalha mais que um GG, mas recebe menos que um Gerente Geral. Nos primeiros anos de Banco, eu gostava de ser  celetista e de trabalhar no Banco, todavia, depois de algum tempo, passei a desgostar (mesmo sem gostar muito, eu era uma funcionária exemplar, cumpria metas, atendia bem, não faltava, etc).

Sou muito grata ao Banco do Brasil, pois aprendi muita coisa lá, fiz muitos amigos, e, além disto, a remuneração que eu recebia no Banco ajudou eu e minha família por quase 15 anos, todavia, a pressão excessiva para o cumprimento de metas (muitas vezes sob ameaças de perda da função gerencial) era algo que me estressava e me desgastava muito (e o pior é que quando você atinge a meta de vendas de produtos e serviços financeiros num mês, no próximo mês a meta é ainda maior, ou seja, é muita pressão). Por causa do BB, cheguei a morar e a trabalhar em Brasília DF, e, lá, eu trabalhava em Agência Bancária, mas, após a quebra de trava (2 anos sem poder concorrer, após ter sido transferida e promovida) eu tentei conseguir vaga em algumas das Diretorias do Banco (Edifício Sede I do BB), pois, em alguma Diretoria, eu conseguiria trabalhar em alguma das minhas áreas de formações (de Graduações ou Especializações), todavia, bati na trave várias vezes (em todas as concorrências, deram preferências por colegas com experiência na área, embora eu tenha obtido um ótimo desempenho em todas as concorrências). Tentei sair com incentivo financeiro (PDV, PDI) duas vezes, em 2019 e 2021, todavia, o Banco não me liberou (por haver discricionariedade), sendo que em 2021 um chefe me falou que não iria me liberar pelo PDV/DPI, pelo fato de eu ser uma boa funcionária, relativamente jovem, estudiosa e cumpridora de metas (eu era o oposto do perfil de funcionário que se enquadraria num Plano de Demissão Incentivada, de acordo com a perspectiva do Banco). 

Glória Hurtado diz que "Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver". E assim aconteceu, o trabalho no Banco perdeu o sentido, pois eu sentia que precisava Empreender. 

Na verdade, eu iniciei a Faculdade de Ciências Contábeis já pensando em poder ser uma profissional liberal, o que viabilizaria minha saída do Banco no futuro, em termos de renda. Quando concluí a Graduação em Ciências Contábeis, em 2018, eu iniciei uma série de Cursos e Treinamentos, já visando  sair do Banco e empreender.

Em Outubro de 2020, em meio a pandemia, o meu sonho de empreender começou a sair do papel, com a criação da Empresa Yangoo Assessoria (Contabilidade Digital e Assessoria Empresarial), a qual sou sócia fundadora (o outro sócio fundador é o meu esposo, Isaque Francelino).

A nossa Empresa começou em home office (em 01/10/2020), todavia, com o crescimento da mesma, cheguei a um "ponto de inflexão". Assim sendo, foi necessário encerrar um ciclo, como funcionária do BB (pedido de demissão, sem incentivos financeiros, formalizado em 31/03), para, desta forma, iniciar um novo ciclo, de dedicação integral à minha Empresa. Sim, passei a ser uma ex bancária e muitas pessoas me chamaram de "louca" rsrs (por ter largado um emprego público). 

No início de Maio de 2021 eu me desliguei do Banco e passei a me dedicar integralmente à Yangoo, nossa Empresa, que passou a atender presencialmente em Meia Praia, Itapema SC, numa Sala Comercial, e, concomitantemente a esta mudança, a Yangoo passou também a prestar atendimentos em outras áreas, além da contabilidade (a Yangoo atualmente atua nas áreas de Contabilidade Digital, Soluções Financeiras, Administração de Condomínios, Assessoria e Consultoria Empresarial e Certificado Digital). Atendemos presencialmente a clientes de Itapema SC e região e digitalmente atendemos a clientes de todo o Brasil.

Hoje, passados pouco mais de 5 meses que me desliguei do Banco, já posso dizer, com tranquilidade, que fiz a coisa certa. Em termos de remuneração, já recebo mais do que eu recebia mensalmente na época em que pedi demissão, e, além disto, o prazer de estar fazendo o que gosto, profissionalmente, é indescritível. Estou trabalhando bem mais do que quando eu trabalhava no Banco, todavia, hoje em dia eu faço minhas metas, e, quando eu as cumpro, estou fazendo a nossa Empresa crescer, ou seja, eu amo empreender. No mais, tenho um carinho especial por todos os clientes da Yangoo, e presto um atendimento consultivo, com excelência, para todos os nossos clientes. Meu desejo é que todos os nossos clientes tenham uma excelente jornada empresarial, e que todos tenham muito sucesso (não são clientes, são amigos, parceiros). 

Se você gostou da minha história, me siga em minhas Redes Sociais.

Será um prazer recebê-lo(a) em minhas Redes  Sociais:

Instagram: @mileideweber https://www.instagram.com/mileideweber/
Canal Código do Crescimento (Canal no Youtube, com foco em Educação Financeira):
Canal Blogueirizando (Canal no Youtube, de variedades):

Links de contatos da Yangoo (nossa Empresa de Contabilidade Digital, Assessoria e Personal Banker): 

Pedi a Conta no Banco do Brasil (Pedi Demissão)! De Gerente Bancária a Empreendedora ! Vida de Ex Bancária do BB!
Pedi a Conta no Banco do Brasil (Pedi Demissão)! De Gerente Bancária a Empreendedora ! Vida de Ex Bancária do BB!